quinta-feira, 10 de abril de 2008

Uma poesia de Candido Portinari

São Francisco por Candido Portinari - Painel em azulejo na Igreja da Pampulha


Poesia não é coisa que fica, não.
Poesia é coisa que vem e passa.
Passa como um passarinho muito raro.
Passa depressa.
A gente vai querer segurar,
ele voa e vai-se embora.
Hoje, quando eu estava pintando o braço de São Francisco, ali perto da cabeça dele, eu senti um – viup – um raspão de poesia.
(Candido Portinari)


É poesia pura o conjunto da arquitetura de Oscar Niemeyer e os painéis de Candido Portinari na Igreja da Pampulha.

Um comentário:

emanuely disse...

linda poesia eu gosteiii!!melhor ameii amo poesias!!!!♥