quinta-feira, 19 de março de 2009

Meu amigo Fernando Brant

Bituca, Brant e JK
Diamantina-MG, 1971

Hoje à noite vou ao SESC Pinheiros ver e ouvir meu amigo Fernando Brant tocar violão. Nunca ouvi ele tocar. Já ouvi cantando. Foi com ele que iniciei no jornalismo em 1970 na revista o Cruzeiro. Em depoimento dado ao Museu da Pessoa diz que cantar é um direito humano. Por que não? "Eu canto. Eu tenho um show com o Tavinho Moura. Gravamos um disco chamado “Conspiração dos poetas” e eu tenho achado ótimo, porque na realidade a minha aptidão era outra. Eu tenho um ouvido bom pra ouvir música e conseguir fazer as letras, mas o negócio de cantar... Porque a minha referência é o Bituca. Pro cara ser parceiro de um cara que canta daquele jeito, é um negócio meio danado. Até que num determinado momento, a gente estava em casa e ficava cantando e eu cheguei a conclusão: “Cantar é um direito humano”.
Vou rever o amigo.

Serviço
Os dois compositores mineiros Tavinho Moura (violão e voz) e Fernando Brant (violão), acompanhados pela cantora Mariana Brant, visitam várias de suas parcerias históricas, como "Gente que vem de Lisboa" e "Paixão e Fé", além de outros sucessos feitos com outros integrantes do Clube da Esquina, como "Milagres dos Peixes" (Milton Nascimento e Fernando Brant) e "Cruzada" (Tavinho Moura e Márcio Borges). Sala das Oficinas - 2º andar.

2 comentários:

Ceres disse...

Oi, Juvenal! Que felicidade a sua hein?! Bacana demais rever o Fernando Brant. Sei bem que sensação boa foi essa. Também fui assistir à uma das apresentações dele com o Tavinho, aqui em Beagá. Um show mesmo! Grande abraço, cara! Tudo de bom! Ceres.

Nelson Marzullo Tangerini, Escritor disse...

VEJAM MEU BLOG
http://narzullo-tangerini.blogspot.com/
ABRAÇOS,
NELSON TANGERINI, ESCRITOR.