quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Car free - ano 1 e meio

Dentro do bumba na Dr Arnaldo

Em julho do ano passado, por um trauma financeiro, coloquei meu Peugeot 206 na roda pra tapar os buracos. Foi uma operação traumática sob todos os pontos de vista. O que seria a tábua de salvação provocou um cisma familiar e levei um puta tombo, além de pagar um mico daqueles. Talvez seja a maldição automobile.
Desde então sou buzeiro (ando de ônibus e metrô em Sampa) e curto o prazer da leitura, da observação dos passajeiros, da diversidade de pessoas, estilos de vida, padrão financeiro, idade, sexo, cor, vestuário, tom de voz, cor dos olhos, decotes e perfumes. Escaneio tudo com o olhar, olfato, audição e às vezes o tato. Fica faltando o paladar mas, vez por outra pego um amendoim torrado e doce no camelô da Av São Luiz e vou ruminando na subida da Consolação e descida da Dr Arnaldo. Já lí Voltaire, Maquiavel, Portais búdicos, teses da USP e vi muita, muita gente. Até alguns amigos e agora sou caroneiro ou, nas emergencias, ando de taxi.

As observações de caroneiro.

Todos os motoristas que pego carona, todos, são envolvidos por uma estranaheza enquanto dirigem. Brigam com o carro que ultrapassou o outro lá na frente, com aquele que vinha ao lado e forçou a passagem, do que abriu a porta e bloqueou o fluxo, daquele que tá falando no celular, daquele com o farol alto, daquele que encostou na vaga logo em frente daquele, brigam até com o vento... uma infinidade. O carro, nas cidades é neurotizante, mas na estrada, principalmente naquelas sem tráfego é o maximo. Ainda vou voltar a ter um para estas ocasiões. Cair na estrada (on the road) parar numa cachoeira, praia deserta, água de bica, abrir porteira, ver a boiada passar e aquela moça na janela, heim?

3 comentários:

Marimaki disse...

Apoiado, Juva!
Eu também, por motivo de força maior, agora ando de bumba! Depois de ler seu post, vou aproveitar mais para olhar o mundo, me desneurotizar, deixar o motorista me levar (vida leva eu)...
bjs

Marimaki disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
rq.tata disse...

BOA!
Além disso, renovando minha noite mal dormida, eu tiro um conchilo.